História de Caraguatatuba

Região de Caraguatatuba
Caraguatatuba começou a ser povoada no início de 1600, através das Sesmarias. A 1ª que se conhece ocupou a bacia do Rio Juqueriquerê, em 1609 e foi doada pelo Capitão-mor Gaspar Conqueiro aos antigos moradores de Santos, Miguel Gonçalves Borba e Domingos Jorge, como prêmio por serviços prestados á Capitania de São Vicente.

A partir desta data tem inicio a ocupação na região de Juqueriquerê, que pelas suas condições favoráveis, despertava a atenção de colonos. Em meados do século XVI, começava a surgir o primeiro povoado da Vila de Santo Antônio de Caraguatatuba.

Em 1693, um violento surto de varíola, a qual o povo vulgarmente tratava por “Bexigas”, vitimou parte da população da Vila; o restante dirigiu-se para a cidade de Ubatuba e São Sebastião, ficando então o local conhecido como a “Vila que desertou”. Devido à epidemia que se abateu sobre o povoado, o pequeno vilarejo ficou deserto, resistindo somente a igrejinha de invocação a Santo Antônio. Contudo, aos poucos, a Vila de Caraguatatuba foi sendo novamente povoada.

Com a realização de recentes pesquisas sobre a história do município, comprovou-se que sua data de fundação é 1664/1665 e o seu fundador é Manuel de Faria Dória, Capitão-mor da Capitania de Itanhaém.

Em meados do século XVIII, o novo povoado viu crescer o número de seus habitantes a tal ponto que despertaria o interesse do Capitão Geral da capitania de São Paulo, D. Luiz Antônio de Souza Botelho Mourão morgado de Mateus a tomar providências para que o povoado de Santo Antônio de Caraguatatuba fosse elevado à condição de Vila, em 27 de setembro de 1770, sem emancipação político-administrativa. Em 1847 foi elevada á condição de “Freguesia” pela lei n° 18 de 16 de março de 1847, sancionado por Manuel de Fonseca Lima e Silva, Presidente da província de São Paulo.

Em 1857, pela lei n° 3, de 20 de abril de 1857, sancionadas por Antônio Roberto D’Almeida, Vice-presidente da província de São Paulo, Caraguatatuba é elevada á categoria de Vila. Nesta data, passou a ter sua emancipação político-adiministrativa, deixando de pertencer a São Sebastião. Foi reconhecida como Estância Balneária em 1947, pela lei n° 38, de 30 de novembro de 1947 e sua Comarca instalada em 26 de setembro de 1965.

Dados gerais
Caraguatatuba é a porta de entrada para o Litoral Norte Paulista, estando apenas 182 km da capital. Com uma população de quase cem mil habitantes, é o maior município do Litoral Norte. Conta com boa infra-estrutura, comércio diversificado, setor de serviços bem desenvolvido.
O Município possui largas avenidas a beira-mar, calçadões e ciclovias ao lado de belas praias.

Conta com aproximadamente 50 hotéis e 55 colônias de férias com cerca de 9 mil leitos, diversos restaurantes e quiosques que oferecem cardápio variado a lá carte ou self-service. Ainda como infra-estrutura de apoio á atividades turísticas possuímos bom sistema de saúde, transporte, educação e formação de mão-de-obra local. Cerca de 50% das casas são de veranistas.

Tipologia - estância balneária
População - 88.815 hab.
Taxa de urbaniação - 96,11%
Taxa de crescimento anual da população (media 2000/2007) - 1,79%
Área - 484 km²
Altitude - 2m
Orla - 29 km
Temperatura climática - tropical
Abastecimento de água (Fonte: Sabesp) - 88% (atendimento)
Esgoto sanitário (fonte:Sabesp) - 36%

Praia Martins de Sá

É a praia mais freqüentada pelos jovens. Point da paquera e dos melhore bares noturnos da Caraguá.

 Quiosques, bares e restaurantes fazem de sua orla a mais movimentada durante os finais de semana e férias.

Ótima balbeabilidade e posto de salvamento garantem a segurança para os banhistas. Praia de tombo no canto sul e mas rasa ao norte.

O bairro é bastante urbanizado e fica próximo a prainha.

Possui todos os tipos de serviços:
- Alugueis de caiaques, ski-banana, passeios de escuna, etc.
- Também no canto sul, ponto de partida para Praia Brava, um recanto dos naturalistas.

Créditos:

Prefeitura municipal de Caraguatatuba
Telefone geral: (12) 3897-8100
Rua Luiz Passos Junior, 50, Centro, Cep 11660-900